Apresentação no Hospital Infantil: sensação de alegria e bem-estar 

Bastaram as primeiras notas emitidas pelos instrumentos musicais para familiares e pacientes internados no Hospital Infantil saírem no corredor. Atentos, acompanharam a apresentação de alunos dos cursos de formação pedagógica do 39º Festival Internacional de Música de Londrina. A iniciativa faz parte da programação do Kids Festival e neste ano também percorreu, durante a tarde de quinta-feira (18), o hospital Evangélico e a Santa Casa.

Remédio para a alma
Gustavo Carneiro – Grupo Folha

O projeto tem como objetivo levar grupos de música para apresentações em unidades de saúde da cidade, contribuindo para a humanização do ambiente hospitalar, estreitar a relação entre artistas e doentes, além de aliviar o sofrimento de pacientes, profissionais e acompanhantes. “É compartilhar a música com quem está em outros palcos, que não são aqueles tradicionais. É um público especial e nos transmite uma sensação boa. Todo músico deveria se envolver em ações no hospital”, destacou Luciana Schmidt, professora do grupo.

De acordo com ela, mais importante que acertar as notas e ritmos é pode oferecer um momento diferente para as pessoas, em especial os pacientes, como uma espécie de “remédio”. “Faz bem para quem toca, para os demais que assistem. É algo que leva uma sensação de alegria e bem-estar, mostrando o efeito positivo da música”, valorizou. Foram seis alunos participantes, que se dividiram entre aqueles que tocaram flauta doce e um violino. O ritmo foi variado e abrangeu cantigas infantis.

 Inande Bertoni
Inande Bertoni | Gustavo Carneiro – Grupo Folha

Entre os jovens instrumentistas que se apresentaram no projeto Unimed Kids Música e Saúde está Inande Bertoni, 12. Integrado ao meio musical há cerca de cinco anos, aprendeu a tocar flauta por interesse próprio, e já marcou presença em outras edições do Festival de Música para instruir-se mais. “Acho esta iniciativa muito boa, pois sei que estou fazendo o certo. A música me faz feliz e saber que posso passar isso para outras pessoas me deixa ainda mais alegre. É gratificante”, definiu.

INTERESSE
Um dos primeiros a buscar ficar mais perto dos músicos no Hospital Infantil foi Murilo Cassiano da Silva, 11. Internado desde terça-feira (16), o garoto soube identificar com facilidade as canções entonadas. “Conhecia do YouTube, de quando era menor. Achei que eles tocam muito bem, o som do violino é bem diferente. Gostei bastante”, avaliou ele, que tem interesse em praticar aulas de violão. “Tenho um violão em casa, então já é um começo.”

Para a mãe do menino, Fabiane, que deverá acompanhá-lo até a próxima semana, quando terá alta, ações do tipo são essenciais para entreter quem está inserido no ambiente hospitalar. “Comecei meu dia triste e depois do que vi e ouvi tenho certeza que ele ficou mais leve”, contou.

Os cursos do Kids Festival iniciaram na segunda-feira (15) e reúnem dezenas de crianças e adolescentes. O encerramento será no sábado (20), na igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. “Para as apresentações nos hospitais selecionamos aqueles com disponibilidade. Durante os cursos temos crianças de várias cidades e as que moram em Londrina sempre pedem para voltar no decorrer do ano”, relatou Luciana Schmidt.

Fabiane e Murilo Cassiano da Silva
Fabiane e Murilo Cassiano da Silva | Gustavo Carneiro – Grupo Folha

 

Fabiane acompanha o filho Cassiano da Silva: “Comecei meu dia triste e depois do que vi e ouvi tenho certeza que ele ficou mais leve”

Folha_de_Londrina(2019-07-19)_page1 

Folha_de_Londrina(2019-07-19)_page17

1
Olá, está precisando de assessoria? Vamos conversar?
Powered by